Pedro Bandeira: Pântano de sangue (1987)

COMPRE
Pântano de sangue é uma novela policial do escritor brasileiro Pedro Bandeira, direcionado ao público juvenil e publicado originalmente no Brasil em 1987 pela editora Moderna. 

Subtítulo: Uma aventura com os Karas (1991-1994); Mais uma aventura com os Karas! (1995-2008); Mais uma aventura dos Karas! (2009-atual).

Série: Os Karas (6 títulos) = A droga da obediência (1984), Pântano de sangue (1987), Anjo da morte (1988), A droga do amor (1993), Droga de americana! (1999), A droga da amizade (2014).

Sinopse: O crime organizado ronda o Pantanal! Miguel, Crânio, Calú, Magrí e Chumbinho envolvem-se com o crime organizado que está agindo no Pantanal de Mato Grosso, liderado pelo misterioso Ente. Em um enredo fascinante, repleto de suspense do começo ao fim, discute-se a dramática destruição dos jacarés, dos índios e da natureza em um dos últimos lugares do mundo que ainda poderia ser chamado de Paraíso Terrestre. Crânio, o geninho dos Karas, é quem terá de arrastar os amigos em sua mais perigosa missão! Esse é mais um trabalho para os Karas: o avesso dos coroas, o contrário dos caretas! [fonte: contracapa]



Pântano de sangue. Pedro Bandeira. Os Karas. Editora Moderna. Coleção Biblioteca Pedro Bandeira. Ricardo Postacchini. Hector Gómez. 2014. Capa de Livro. Book Cover.
Editora Moderna, Coleção Biblioteca Pedro Bandeira, 2014-atual
Capa de Ricardo Postacchini
Ilustrações internas de Hector Gómez

Pântano de sangue. Pedro Bandeira. Os Karas. Editora Moderna. Coleção Biblioteca Pedro Bandeira. Ricardo Postacchini. Hector Gómez. 2009. Capa de Livro. Book Cover.
Editora Moderna, Coleção Biblioteca Pedro Bandeira, 2009-2013
Capa de Ricardo Postacchini
Ilustrações internas de Hector Gómez

Pântano de sangue. Pedro Bandeira. Os Karas. Editora Moderna. Coleção Veredas. Ricardo Postacchini. Alberto Naddeo. 2003. Capa de Livro. Book Cover.
Editora Moderna, Coleção Veredas, 2003-2008
Capa de Alberto Naddeo (ilustração) e Ricardo Postacchini (layout)
Ilustrações internas de Alberto Naddeo

Pântano de sangue. Pedro Bandeira. Os Karas. Editora Moderna. Coleção Veredas. Ricardo Postacchini. Alberto Naddeo. 1995. Capa de Livro. Book Cover.
Editora Moderna, Coleção Veredas, 1995-2002
Capa de Alberto Naddeo (ilustração) e Ricardo Postacchini (layout)
Ilustrações internas de Alberto Naddeo

Pântano de sangue. Pedro Bandeira. Os Karas. Editora Moderna. Coleção Veredas. Eduardo Santaliestra. Eugênio Colonnese. 1987. Capa de Livro. Book Cover.
Editora Moderna, Coleção Veredas, 1987-1994
Capa de Eduardo Santaliestra
Ilustrações internas de Eugênio Colonnese

Temas: suspense, mistério, policial, aventura, costumes indígenas, ecologia, meio ambiente, Pantanal, tráfico de drogas, pluralidade cultural.

NotaAntes de Droga de americana!, Pedro Bandeira chegou a escrever um outro livro da série, A droga virtual, mas na época do lançamento desistiu do projeto. Segundo ele, "A droga virtual foi um projeto que teve de ser abandonado, pois pretendia basear-se em informática e, como esse ramo é dinâmico demais, meu livro ficou obsoleto antes de ser impresso." (VIEIRA, 2008) Ainda: "Há poucos anos, terminei mais um livro com os Karas. Ia chamar-se “A droga virtual”. Ficou pronto mas, como tratava de computadores e como a informática muda a toda hora, o texto estava ultrapassado antes mesmo de ir para a gráfica. Tentei “atualizá-lo”, mas descobri que é impossível tentar perseguir as inovações tecnológicas. Os Karas surgiram num tempo em que ainda não havia computadores pessoais, nem Internet, nem e-mail, nem telefones celulares, nem câmeras fotográficas digitais. Nas reformulações dos livros, ainda consegui colocar um computador em “A droga da obediência” e “Droga de americana!” ainda saiu com um lap-top no colo da Magrí. Desse modo, “A droga virtual” nunca sairá. Por isso, decidi que o próximo livro com os Karas será o “volume Zero”, isto é a história que viria “antes” de “A droga da obediência”, o momento em que Miguel reúne Magrí, Crânio e Calu e cria o grupo dos Karas, sempre com Chumbinho descobrindo tudo escondido e interferindo nos planos dos Karas e ajudando-os sem que eles percebam. Pode contar isso para todos os meus amigos do Orkut. Só não sei quando o livro ficará pronto nem como será o título, mas tenho esperanças de concluí-lo até o final deste ano. O problema é que ainda não inventei o “mistério” que levará Miguel a criar os Karas. Não poderá ser um crime comum; terá de ser algo fantástico, exagerado, como foram os outros mistérios dos cinco livros com esse meninos maravilhosos." (ORKUT, 2007)


Resenha (por Rosane Pamplona): Os Karas - Miguel, Magrí, Calu, Crânio e Chumbinho - é um grupo de amigos que estuda no colégio Elite. Eles participam de várias aventuras de suspense nas quais precisam desvendar alguns crimes. Nesse episódio, o querido professor Elias é encontrado morto, e a turma dos Karas não se conforma com isso. Crânio, convencido de que não se trata de um simples roubo, parte para o Pantanal Mato-grossense, que o professor visitara semana antes. Lá é recebido pela Tia Matilde, excêntrica senhora que passeia pelo Pantanal com seu velho avião pintado de rosa-choque. Na pista de um aeroporto clandestino, Crânio é sequestrado. Os Karas entram em ação e, com o detetive Andrade, seguem as pistas deixadas por um piloto assassinado que, momentos antes de morrer, falara de um misterioso criminoso chamado Ente. As pistas se ramificam, os garotos se embrenham Pantanal a dentro, cada um seguindo suas intuições e, depois de muitos sustos e desacertos, acabam descobrindo que o Ente era quem menos esperavam (...) Esta é mais uma aventura dos Karas, turma de amigos ousados e inteligentes, que não titubeiam em arriscar a vida para desmarcarar um criminoso. Dessa vez o crime é o tráfico de drogas internacional, que usa como QG o Pantanal; ao enredo se somam costumes indígenas e lições de ecologia. A trama é inteligente e prende o leitor até o final, inesperado e bem arquitetado. 

Personagens: Miguel (líder dos Karas), Calú (membro dos Karas), Crânio (o mais inteligente dos Karas), Magrí (a única menina dos Karas), Chumbinho (o mais novo dos Karas), detetive Andrade, O Ente (vilão da narrativa), Mike Serrabrava e Tia Matilde.

Locais: cidade de São Paulo, Pantanal.

Contracapas:

Pântano de sangue. Pedro Bandeira. Os Karas. Editora Moderna. Coleção Biblioteca Pedro Bandeira. Ricardo Postacchini. 2014. Contracapa de Livro.
contracapa 2014-atual

Pântano de sangue. Pedro Bandeira. Os Karas. Editora Moderna. Coleção Biblioteca Pedro Bandeira. Ricardo Postacchini. 2009. Contracapa de Livro.
contracapa 2009-2013

Pântano de sangue. Pedro Bandeira. Os Karas. Editora Moderna. Coleção Veredas. Ricardo Postacchini. 2003. Contracapa de Livro.
contracapa 2003-2008

Pântano de sangue. Pedro Bandeira. Os Karas. Editora Moderna. Coleção Veredas. Ricardo Postacchini. Alberto Naddeo. 1995. Contracapa de Livro.
contracapa 1995-2002

Pântano de sangue. Pedro Bandeira. Os Karas. Editora Moderna. Coleção Veredas. Eduardo Santaliestra. 1987. Contracapa de Livro.
contracapa 1987-1994

Capítulos (18):

  1. Um crime brutal
  2. O ouro da Máfia
  3. O inferno começa no paraíso
  4. As voz grossa do Pantanal
  5. Três vezes destruição
  6. E se chamava Robson
  7. Um cemitério para milhares
  8. Veneno nas veias
  9. Buscando o Montecristo
  10. O sangue banha o Taquari
  11. O formigueiro do crime
  12. O hálito do demônio
  13. Nos dentes da morte
  14. Ninguém escapa do grandalhão
  15. Na trilha do Pequeno Polegar
  16. A batalha do Pantanal
  17. Morte pantaneira
  18. Uma canção morre no mar

Dedicatória:
Dedico este livro à minha amiga Kallryn Flávia Siqueira Santos, de Roraima, uma verdadeira Kara, como a Magrí e como a Peggy. (edição de 2005)

Referências:



Nenhum comentário:

Postar um comentário